quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Como eu consegui essa(s) foto(s)



Eu ainda tô meio em choque pelo que me aconteceu ontem, mas vou tentar fazer esse post.

Desde janeiro que a minha ansiedade tá no talo por causa do show do Black Label Society. Comprei o ingresso num dos primeiros dias que começaram a vender e quando foi em Fevereiro, falaram que o show que ia ser transferido pra Agosto invés de Maio como tava marcado. Ok, vamos esperar mais uns meses.
Fui em várias apresentações nesse meio tempo, shows grandes por sinal, mas nenhum se comparou a ansiedade que eu estava sentindo pra ver o Zakk Wylde mais uma vez.

Faz duas semanas que eu tô fazendo contagem regressiva no meu facebook e sonhando com uma foto com ele. Não podia ser tão difícil, afinal um dos meus amigos está acompanhando a banda durante a turnê aqui na América do Sul. De um jeito ou de outro eu tinha que conseguir.

Eis que ontem de manhã eu cheguei no trabalho, abri meu twitter e vi que o Zakk em pessoa estaria na Kiss FM a partir das 18:00. "Pode ser a minha chance de tentar alguma coisa", eu pensei. Mas ainda não tinha decidido se ia ou não. Provavelmente estaria lotado de metaleiros/headbangers/curiosos/posers/whatever. O expediente foi chegando ao fim e aí começou a me dar aquela coceirinha de ir pra lá e tentar a sorte. O NÃO eu já tinha. Só precisava conseguir o SIM.

Abri minha lista do MSN e chamei umas 3 pessoas pra irem comigo. As três disseram que não podiam ir. Aí tentei lembrar de alguém que seria louca o suficiente pra tietar comigo o ex-guitarrista do Ozzy Osbourne. A irmã de um amigo meu! Chamei, morrendo de medo dela responder que não ia e qual foi a minha surpresa quando ela topou NA HORA! Ok, nos encontramos as 19:00 no metrô Consolação.

Nisso, fiquei ouvindo a rádio e acompanhando pra saber se ele já tinha chegado, ido embora, enfim. Justamente quando eu estava pegando o elevador pra ir embora do trabalho rumo ao metrô, o apresentador do programa fala:

- Infelizmente o mister Zakk Wylde não poderá vir. O vôo dele atrasou e ele não vai conseguir chegar em tempo hábil de participar do nosso programa. Uma pena.

Juro que não me senti ultra mega triste. Um pouco decepcionada, talvez mas nada demais. Enfim, me encontrei assim mesmo com a minha amiga e resolvemos tomar um Starbucks no shopping center ao lado da rádio. Conversa vai, conversa vem (afinal, fazia uns bons anos que a gente não se via), a esposa do meu amigo que está com a banda me liga e:

- Ana, você está ouvindo a Kiss?
- Não, mas tô aqui perto, por que?
- POR QUE O ZAKK TÁ LÁ!

Juro, nessa hora parecia que tinha descido um balde de gelo na minha barriga. Larguei tudo em cima da mesa, puxei a menina pelo braço e vamo que vamo. Na porta da rádio, não tinha ninguém, NINGUÉM! Não podia ser ali, por que só eu que tinha tido essa idéia brilhante de ir lá? Não podia ser assim tão fácil né? Mas era ali.
Ficamos debaixo de uma garoa fininha (Fê, se você estiver lendo isso, OBRIGADA) cada uma com um fone de ouvido escutando o programa.

Uma van apareceu na porta da garagem da estação de rádio. Começamos a ficar espertas e nisso o locutor: é isso aí galera, esse foi o Zakk Wylde participando aqui do nosso programa, obrigada blábláblá. Ok, ele ia aparecer por ali a qualquer momento. Mas como otimismo não é meu forte, continuei pensando: não é possível que vai ser assim tão fácil.

Mas foi! Foi porque a van desceu um pouco em direção a garagem e nós duas descemos um pouco também. Vi uma movimentação e DE REPENTE... o Zakk Wylde flesh and blood aparece NA MINHA FRENTE!
Sabe a sensação que eu tive? Tela azul do Windows. Travei, não conseguia ir pra frente nem pra trás, não conseguia abrir a boca, não emiti um som. Eu sempre imaginava que quando o visse na minha frente, ia abrir a boca e tagarelar sem parar, com aquele papo de fã, mas NÃO.

Meu amigo me viu e disse pro Zakk: Zakk, essa é uma amiga minha. Aí ele veio vindo na minha direção e eu BESTA. Ele disse: hey baby, me deu uma palheta. Perguntei pro meu amigo se eu podia tirar ao menos uma foto e eu ganhei não só uma, mas duas fotos, dei mais um abraço nele, ele disse "thanks for coming" e quando ele já estava perto da van, eu disse: see you at the show.

A van ligou o motor e eles foram embora. E eu fiquei parada no meio da rampa da garagem tentando digerir o que tinha acontecido.
É, eu consegui duas fotos com o cara que eu mais tive vontade de conhecer (depois do Axl), ganhei duas palhetas de presente e daqui 2 dias assistirei o segundo show do Black Label Society.

Dreams do come true.

Um comentário:

  1. Fernanda, a cúmplice.11 de agosto de 2011 07:36

    Aninha, realmente foi uma coisa de louco, fácil e inacreditável. Eu presenciei essa tal "tela azul do windows" e dá medo.

    Até ele percebeu, de certa forma! Eu estava bem sem graça. Veio em minha direção, entregou uma palheta, agradeceu o prestígio e me deu um beijinho e um abraço.

    Mas, eu queria mesmo ter visto o Bon Jovi. Hahahahahah.

    ResponderExcluir